sexta-feira, 17 de outubro de 2008

POEMA EM TRÊS VERSÕES

PERENE

na pura essência;

latente Estou, e Sigo iminente.

Concedo a glória, Sou a sentença;

a cura Dou, e a penitência.

o túnel Vejo, entre a luz e escuridão.

Caminho só. Sou o chão.

Findo a mensagem, Uno o silêncio…

último Estou e Sou primeiro.

guerra Busco… Clamo paz.

Torno o que se Leva e Traz

Nasço e Renasço. na morte Vou.

Vivo no ontem, hoje, amanhã.

perene Sou.

PERENNE

en la pura esencia

latente Estoy y Sigo inminente.

Paso en la gloria y la sentencia

la cura Doy, y la penitencia.

el túnel Veo, entre la luz y el secreto

Camino solo. Soy la raíz.

Ceso el mensaje. Uno el silencio

ultimo Estoy, y Soy primero.

la guerra Busco… Grito la paz

Soy lo que se Lleva y Trae

Nazco y Renazco. en la muerte Voy.

Vivo ayer, hoy, y mañana.

Perenne Soy.

EVERLASTING ME.

The essence alive:

Latent and imminent.

From the glory to sentence

The cure and the penitence.

Through the beam and the dim,

Off the ground. Keeping the course.

Stopping messages. Free silences.

Be the last. Stay first.

On the war, into peace.

Ride to live.

Born and unborn

Now and Ever

Everlasting Me.

Um comentário:

Rachael disse...

Everlasting in our minds, everlasting in our lives.
That’s you!
Kisses. R.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails