quinta-feira, 30 de agosto de 2012

ALTO LÁ!




Chega da busca a perfeição. Eu quero um bom feijão-com-arroz. Bem temperado.

Chega dessa batalha árdua diária. Não falo em preguiça ociosa! Eu quero o “Devagar e sempre”. Devagar igual a constante e sempre é pra frente.

Chega de “Essa pº®®@ nunca vai da certo!” Sempre a um jeito pra tudo. Se não for o melhor, mas sim, dá pra ficar melhor!

Chega de resultados se resumirem em atitudes. Raciocínio e organização precedem os atos. Melhora-os. Mas também quero agilidade.

Chega de “Só quem passou por isso é que sabe...”. Em nenhuma circunstancia, botarei minha mão no fogo por mim. Sei que o fogo queima. Mas eu quero dar minha vida a quem a dar por mim.

Chega de blá-blá-blá e ir pra cama. Quero fazer amor a todo o momento, e na cama quero uma boa trepada!

Chega de pragmatismos. Eu quero saborear palavras cheias de sangue e paixão, quero construir amores imperfeitos. Quero fundir os sentidos! Mas respeito é bom, e eu gosto.

Chega de objetivar futuros de sucesso a curto, médio, longo prazo. Quero não ter certeza de nada, pois aí sim, valorizarei cada instante.

Chega de etiquetas e tradições retrógradas. Quero comer de mão, chinelo gasto, minha meia de lã surrada. Quero ter tudo isso e deixa pra lá, sem mais nem menos!

Chega de indiferença. Quero amar e odiar. Tudo ao mesmo tempo agora. Tudo intensamente dentro de mim.

Quero que você me esqueça, por um tempo; mas, quando se lembrar de algo, tenha a certeza: Fui eu que fiz.

Quero ter feito parte de alguém mesmo sem estar (mais) por perto. Quero minhas felicidades em lembranças e memórias. Por que sei que as vivi. Isto é o que me importa.

Navegar é preciso... Por que felicidade não está simplesmente no êxito no fim, mas passa, substancialmente, por viver as viagens que me propus a fazer.


3 comentários:

Sacerdotisa disse...

É isso querido, que nunca seja em vão, que deixe marcas, que te assumas em cada momento, em cada sentimento, em cada situação. Viver não é o passar do tempo, é o estar atuando sobre ele no aqui e agora, sentindo....

Abraço meu querido.

Kleitman Castro disse...

Brigaduuu. ;~]

Rávilla Kesia disse...

É bem isso. Até porque, não existe nada perfeito ou a perfeição é subjetiva. Gostei do texto, compartilho essa coisa de não querer nada morno, nada previsível demais. De ser surpreendido e surpreender.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails